15 de setembro de 2021

Prevenção de quedas em idosos | Rádio Sociedade

Com o avançar da idade, o corpo humano se torna mais frágil e mais vulnerável aos impactos das doenças, infecções e quedas

O processo de envelhecimento do indivíduo traz consigo uma série de alterações fisiológicas que impactam diretamente no bem-estar. A perda de massa muscular e de massa óssea, por exemplo, torna a pessoa idosa mais suscetível a eventos de queda, considerada uma das principais causas de óbito no grupo da terceira idade.

O sistema imunológico também tende a apresentar um enfraquecimento com o avançar da idade, tornando o corpo mais vulnerável aos ataques de organismos causadores de doenças e infecções.

Em entrevista à Rádio Sociedade, a coordenadora médica da S.O.S. Vida (BA) falou sobre esse tema e deu recomendações de medidas que podem ser adotadas para reduzir os riscos à saúde e a integridade física do idoso. As ações de prevenção envolvem desde o cuidado com aspectos da saúde do próprio indivíduo, como com o ambiente onde ele vive.

“Estudos mostram que 5 a 10% das quedas em idosos resultam em lesões graves, principalmente porque são fraturas […] Os cuidados com a pessoa estão relacionados a fazer uma atividade física, se alimentar melhor, procurar verificar todo ano a questão da visão, da audição, porque isso favorece a quedas também – aquela pessoa que não enxerga bem acaba caindo mais.

Verificar a questão dos medicamentos, hoje muitos pacientes usam muita medicação e algumas têm algum efeito sedativo, então a gente tem que tomar cuidado com essas medicações, porque a sonolência pode fazer com que o idoso caia”.

Além dos cuidados pessoais, a médica ressalta a importância de observar o ambiente e adotar medidas que possam minimizar os riscos de acidente. Objetos como mesa de centro, móveis pontiagudos, fios e tapetes devem ser evitados, pois podem prejudicar a mobilidade do idoso no domicílio, além de causar ou agravar acidentes.

Cuidados com as quedas de idosos

Outra mudança no ambiente que reduz riscos e aumenta a segurança é a substituição de desníveis por rampas. Desníveis podem causar tropeços que, por sua vez, podem levar a quedas. Nesse sentido, o tipo de calçado utilizado tem um papel importante na segurança do idoso.

A recomendação, segundo Dra. Ana Rosa, é que o idoso utilize um sapato fechado e antiderrapante. Caso prefira utilizar uma sandália, a recomendação é optar por modelos que ofereçam um fechamento na parte de trás do pé, ou seja, na região do calcanhar.

Leia também: Cuidados para evitar a queda de idosos | TV Aratu

Cuidados ao ir ao banheiro

O banheiro é um ambiente de alto risco de queda para o idoso, pois pode apresentar fatores que favorecem esse tipo de ocorrência, como chão molhado, espaço apertado, presença de tapetes e outros obstáculos. Esses fatores, em conjunto com a fragilidade natural do corpo poderão levar a eventos de queda e, a depender da gravidade, ao óbito.

“O assento do sanitário é importante que ele seja um pouco mais elevado, para evitar que ele [a pessoa idosa] tenha que descer muito para sentar e precise fazer força para se levantar, e as barras”.

Ouça a entrevista completa:

A médica aconselha que sejam instaladas barras de apoio no banheiro, nos casos onde o paciente possui alguma alteração de equilíbrio. Em outras situações pode ser necessário adicionar barras de apoio em outros espaços da casa por onde o idoso se desloca, como nos corredores. Outra medida de segurança que pode ser adotada é deixar uma lâmpada acessa durante a noite, para facilitar a locomoção do idoso quando ele se levantar a noite para ir ao banheiro.

“A depender do idoso, se ele tiver risco de cair da cama, podemos colocar uma gradezinha na cama, para evitar que ele se vire e caia. Porque às vezes eles perdem a noção de espaço e isso pode acontecer”.

Em casos de acidentes

As medidas de redução de risco de queda são essenciais para minimizar ao máximo as possibilidades de acidente. Contudo, mesmo adotando essas medidas, eventos de queda poderão ocorrer.

Numa infeliz e indesejada situação em que o idoso caia, Dra. Ana Rosa explica que, a depender da situação o ideal é não mexer no idoso e aguardar a equipe de atendimento de urgência emergência.

“Eles têm total treinamento para atender o idoso no momento da queda. Porque o que acontece muitas vezes é que nós, no afã de ajudar, prejudicamos mais, podendo causar alterações no momento de mexer o paciente. Então, no momento do socorro o que precisamos fazer é isso, esperar a equipe de socorristas, que eles vão proceder com todas as condutas corretas daquele momento: estabilizar o paciente, colocar numa maca apropriada, se precisar imobilizar algum membro porque teve fratura eles vão fazer e vão conduzir ao hospital”.

É no hospital que o paciente será avaliado e as possíveis lesões e fraturas serão identificadas. A partir daí, o tratamento adequado será adotado pela equipe médica.

Deixe um comentário

Assine a nossa Newsletter e receba conteúdos sobre Saúde e Home Care