28 de maio de 2021

Bebê nasce com anticorpos contra Covid-19

Os primeiros casos de bebês que nascem com anticorpos contra a Covid-19 começam a ser registrados. Mulheres que receberam a vacina contra o vírus durante o período de gestação podem ter os anticorpos transferidos do seu corpo para o corpo do bebê.

Dar à luz a uma criança em um momento de profunda tristeza como o que estamos vivendo traz um sopro de esperança, felicidade e alento, especialmente para a família. Esse sopro torna-se mais forte quando essa criança carrega consigo anticorpos contra a Covid-19.

Embora não seja recorrente, alguns casos como esse têm sido registrados no Brasil, como no Acre e em Santa Catarina.

Na Bahia, o primeiro caso registrado de um bebê que nasceu com anticorpos contra a Covid-19 foi o do pequeno Mateus Marques, filho de Patrícia Marques. Ele nasceu no dia 21 de maio e adquiriu a proteção a partir da mãe, que é médica ginecologista e obstetra e havia recebido a segunda dose da vacina contra a Covid-19 pouco mais de duas semanas antes do parto.

A imunidade foi verificada através do teste de sorologia feito pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen) a partir de amostras de sangue da mãe e do bebê dois dias após o nascimento.

Herdeiro de anticorpos

Embora não se saiba o percentual dos casos registrados de imunidade herdada, o caso de Mateus é uma notícia positiva para outras gestantes, pois a possibilidade de transferência de anticorpos da mãe para a criança durante a gestação é alta. Conforme explicou o infectologista da S.O.S. Vida, Matheus Todt, à reportagem do jornal Correio.

“É algo mais comum do que a gente imagina. Não se notou antes por não haver o hábito de fazer sorologia em bebês. Há uma possibilidade muito grande de que as mães passem esse anticorpo, principalmente as que foram vacinadas no fim da gestação, quando ocorre a maior transferência de anticorpos”

Proteção temporária

O processo que permitiu que isso acontecesse chama-se transferência placentária e, graças a ele, é possível que outros casos de passagem de anticorpos de gestantes vacinadas contra a Covid-19 para seus filhos ocorram.

Isso gera outro ponto positivo, que é o aumento da confiança nas vacinas, pois, além da segurança da proteção individual, existe a segurança do bebê nascer protegido também, o que pode motivar as gestantes elegíveis a procurarem a vacinação.

Matheus Todt alerta que essa proteção é temporária, ainda assim, qualquer proteção em meio à pandemia, mesmo que passageira, deve ser comemorada.

“A mãe é capaz de transferir esse anticorpo para a criança e isso era esperado. Esse é o anticorpo G, que é o IgG que é transferido pela placenta e fica nas crianças, conferindo imunidade. Mas, normalmente, é uma proteção transitória, que dura em torno de seis meses”, alerta o infectologista.

Naturalmente imune contra o Coronavírus

Confira a matéria completa do jornal Correio.

Matéria do jornal Correio fala de bebês que nasceram com anticorpos contra o Coronavírus
Leia também: Covid-19: Mantenha a vigilância e cuidados

Principais dúvidas sobre a Covid-19 e seus cuidados [ebook]

A infectologista Monique Lírio respondeu 10 questões sobre a Covid-19.  Abordando dúvidas sobre tratamentos, vacinas, reinfecções e variantes do Coronavírus.

  1. Como é feito o tratamento da Covid-19?
  2. A reinfecção pelo coronavírus é possível?
  3. As vacinas são seguras? Quais suas reações adversas?
  4. As variantes do coronavírus podem afetar a eficácia da vacina?
  5. Depois que eu tomei vacina, eu posso abandonar outras medidas de proteção?
  6. Por que é importante tomar às duas doses da vacina contra a Covid-19?
  7. Eu posso tomar a vacina da gripe e a do coronavírus ao mesmo tempo?
  8. Se eu já peguei Covid-19, devo tomar a vacina?
  9. Quem se curou da Covid-19 deve esperar quanto tempo para aplicar a vacina?
  10. Como fica a situação de quem pegou coronavírus entre a primeira e a segunda dose?

Confira as respostas no ebook.

Deixe um comentário

Assine a nossa Newsletter e receba conteúdos sobre Saúde e Home Care