Quando o Home Care é indicado?

A indicação do Home Care é feita através da avaliação de critérios clínicos e sociais. Entre eles, estão a existência do diagnóstico firmado e quadro clinicamente estável, que necessite completar o tratamento sob supervisão médica e de enfermagem.

image 5

Ou seja, destina-se a pacientes que não demandam a atenção crítica de um hospital, porém necessitam de suporte para restabelecimento ou adaptação a uma nova condição através de uma rotina de cuidados e monitoramento profissional.

Indicações de Home Care

Algumas situações onde a indicação de Home Care é altamente recomendada:

  • Paciente clinicamente estável que necessite completar tratamento sob supervisão médica e de enfermagem.
  • Paciente com limitações decorrentes do quadro clínico que demandem treinamento de paciente ou cuidador frente às novas condições.
  • Término de terapia injetável.
  • Realização de curativos complexos.
  • Necessidade de aparelhos para suporte de vida.
  • Portadores de doenças crônicas com histórico de reinternações hospitalares frequentes.
  • Processos infecciosos prolongados ou recidivantes.
  • Pacientes portadores de doenças que ameacem o curso de vida e não responsiva a tratamentos.

A admissão do paciente para o atendimento na Atenção Domiciliar deve seguir rígidos critérios de elegibilidade para garantir uma assistência segura e de qualidade em todo o processo, desde a admissão até a alta.

Fluxograma do Home Care

Fluxograma do Home Care

Principais critérios do Home Care

  • é necessária uma pessoa, seja um familiar ou um profissional contratado, capacitado para auxiliar o paciente em suas necessidades e atividades rotineiras (alimentação, higiene, etc.).
  • o domicílio deve apresentar uma estrutura básica que garanta o andamento do tratamento sem expor o paciente a riscos. Aspectos como rede elétrica, saneamento básico, facilidade de acesso da equipe de saúde e urgência ao domicílio precisam ser avaliados antes da admissão do paciente.
  • é preciso avaliar as condições de logística para o acesso do paciente à rede de saúde.

Após a verificação desses três itens, inicia-se o processo de admissão com a definição de estrutura dos serviços de assistência domiciliar

Indicações mais frequentes

  • Osteomielite com antibioterapia parental
  • Doenças infecciosas como pneumonia, abcessos, pioartrite, osteomielite, ITU, ITR com indicação de antibioticoterapia parenteral
  • Infecções em pós-operatórios (cirurgias ortopédicas, neurocirurgias e outras)
  • Pós-operatório de cirurgias limitantes como as cirurgias ortopédicas
  • Úlceras e lesões por pressão complexa
  • Cuidados Paliativos
  • Patologias do sistema nervoso central, com necessidades especiais, por exemplo: Esclerose Lateral Amiotrófica
  • Traumas complexos com sequelas

A avaliação rigorosa dos critérios de elegibilidade e definição da estrutura de serviços do Plano Terapêutico para o domicílio garante a assistência segura e efetiva, respaldando todos os envolvidos no processo: médico solicitante, hospital, operadora de saúde, pacientes, familiares, cuidadores e empresa de Home Care.

Assine a nossa Newsletter e receba conteúdos sobre Saúde e Home Care