Conheça a S.O.S Vida
Apresentação / Vídeo Institucional Nossa Equipe Núcleo Científico Conceito Linhas de Pesquisa Orientação para Pesquisadores Produções Prata da Casa Artigos / Estudos Certificação de Qualidade
Home Care
O que é Home Care Fluxograma do Home Care Vantagens do Home Care Legislação Acreditação Perguntas Frequentes
Saiba Mais
Artigos Dicas Informativos Notícias
Contato
Ouvidoria Trabalhe Conosco Contato
14 JUL 2020

Infectologista Monique Lírio participou de live na “Semana do Cuidado na Atenção Domiciliar falando sobre características da Covid-19, sintomas, testes, tratamentos e prevenção.

Atualmente não há medicamento no mercado considerado completamente eficaz para curar a COVID-19. Quem afirma é a infectologista Monique Lírio – com base nas recomendações de organismos nacionais e internacionais da área da saúde –, que participou nesta segunda-feira (13), da abertura da Semana do Cuidado da S.O.S. Vida, ao vivo nos canais do YouTube e Facebook da empresa.

A especialista ressaltou que estudos científicos não comprovaram a eficácia da Hidroxicloroquina, Cloroquina e Ivermectina para curar a doença.

“Nenhum fármaco está aprovado para tratamento ou prevenção. Tudo o que a gente houve falar nos jornais, nas revistas, na grande mídia está em fase de pesquisa. Se uma pessoa vai usar, tem que ser dentro de um protocolo de pesquisa, com termo de consentimento, com um médico indicando os riscos e os benefícios. O uso deve ser limitado a esse contexto de pesquisa (que esteja registrada), porque todo tratamento tem risco de efeito colateral”, pontuou a especialista.

Assista à palestra completa

A abertura da live ficou a cargo da Gerente de Pessoas da S.O.S. Vida, Sônia Cotrim, que apresentou a médica e explicou a dinâmica do evento, cuja proposta é abordar os cuidados com a saúde física e mental nesses tempos de pandemia durante toda a semana.

Dra. Monique Lírio, Coordenadora da Comissão de Controle de Infecção Domiciliar da S.O.S. Vida, iniciou sua apresentação falando da origem do novo coronavírus.

“É de uma família que já causou outras pandemias e tem uma carga genética próxima do vírus derivado do morcego”.

Citou exemplos de outras epidemias, destacando a particularidade desse vírus em relação aos demais da mesma família.

“Ele se espalha de uma maneira muito rápida e a evolução da forma grave pode ser lenta, com o paciente necessitando de internamento prolongado”.

A médica disse que por isso o risco de sobrecarregar o sistema público de saúde é alto, daí as medidas recomendadas de distanciamento social, uso da máscara e higiene das mãos para evitar o contágio.

Transmissão e sintomas da Covid-19

Reforçou ainda as principais formas de transmissão do vírus e citou os sintomas mais comuns, como febre (98% dos casos), tosse e fadiga.

“A maioria das pessoas, cerca de 80%, vai desenvolver uma forma leve da doença”, lembrou a especialista, acrescentando que os outros 20% são os casos graves, que geralmente necessitam de UTI, pois alguns pacientes apresentam febre alta, insuficiência respiratória e até sangramento pulmonar.

A médica explicou, por meio de ilustrações, que o sistema imunológico é o fator determinante para que o indivíduo contaminado desenvolva a forma grave ou leve da doença.

“Se o sistema de defesa não for eficaz, vai causar um número maior de sintomas, causando uma inflamação sistêmica”.

Tratamentos e Vacinas

Sobre o tratamento, a médica disse que, caso o paciente esteja saudável e fora do grupo de risco, geralmente a doença não avança. Para os casos mais graves, onde a assistência médica é necessária, ela lembrou que ainda não há nenhum tratamento específico considerado completamente eficaz pelas autoridades de saúde, sanitárias e científicas nacionais e internacionais.

Outro ponto tratado foi o da pesquisa para produção de uma vacina. Atualmente, existem mais de 140 candidatas a vacinas registradas na Organização Mundial da Saúde, porém, dessas, apenas 13 estão na fase clínica de testes em humanos. Uma delas é a vacina de Oxford, que vai ser aplicada em 50 mil pessoas e está em estágio avançado de desenvolvimento, inclusive com voluntários no Brasil.

“É considerada uma vacina moderna e segura por não utilizar o próprio vírus e sim uma sequência genética”.

Enquanto a ciência busca uma forma de imunizar a população, a médica enfatizou que cada um precisa fazer a sua parte, obedecendo as medidas de prevenção conhecidas de todos.

Leia também: Infectologistas contraindicam uso da Ivermectina ou outros medicamentos para combater Covid-19

A médica respondeu, ao final, algumas perguntas dos internautas. Uma delas sobre os riscos de se candidatar como voluntário para a vacina. Lembrou que entre os efeitos está a febre. “No momento não está sendo testada em gestantes, pessoas com mais de 60 anos ou com comorbidades”, lembrou a especialista, informando que apenas indivíduos saudáveis de 18 a 55 anos estão participando do estudo.

Outra pergunta foi sobre pacientes em Home Care. A médica esclareceu que é uma população de risco para o novo coronavírus, pois geralmente são idosos com comorbidades.

“Esses pacientes devem evitar receber visitas e manter o isolamento, caso alguém esteja doente em casa”, disse a especialista.

Dra. Monique lembrou ainda que o site da S.O.S. Vida (www.sosvida.com.br) possui um vasto material sobre o assunto, disponível para ser consultado.    

Assista também a palestra do Infectologista Matheus Todt na Semana do Cuidado na Atenção Domiciliar.

Semana do Cuidado na Atenção Domiciliar

A pandemia traz reflexos significativos na saúde da população, não só pelo risco de contrair o novo Coronavírus, mas também pelo impacto na saúde mental, desequilíbrio na alimentação, redução nas atividades físicas e dificuldade em tratar outras doenças por conta do risco de buscar atendimento nos hospitais.

Diante desse cenário, manter uma dieta e hábitos saudáveis, redobrar os cuidados com a saúde física e mental e adotar medidas de prevenção são fundamentais.

Pensando nisso, a S.O.S. Vida promoveu a Semana do Cuidado na Atenção Domiciliar, com a realização de palestras transmitidas ao vivo pelo Youtube e Facebook.  A iniciativa reuniu profissionais da empresa para falar de sintomas e cuidados com a Covid-19, hábitos e alimentação saudável e saúde mental.

Confira aos vídeos da Semana do Cuidado.

[Segunda] “O que sabemos sobre a Covid-19” – Monique Lírio, infectologista

[Terça] “Cuide de sua Saúde Mental” – Cláudia Cruz, psicóloga

[Quarta] “Fortalecendo a imunidade” – Edneuza Nascimento e Ana Rosa Humia, nutricionista e médica da família

[Quinta] “Gripe, Resfriado e Covid-19: Sintomas e Cuidados” – Matheus Todt, infectologista

[Sexta] “Como estamos lidando com as emoções” – Sônia Cotrim, psicóloga

Empresa Acreditada:

Joint Commission International (JCI)

Empresa afiliada:

Associação Nacional de Hospitais Privados Anahp

NEWSLETTER
ONDE ESTAMOS
SALVADOR - BA
Av. Dom João VI, 152, Brotas, CEP: 40.285.001
Salvador - Bahia - Brasil
71 3277 8004
ARACAJU - SE
Rua Itabaiana, 952, São José, CEP: 49.015.110
Aracaju - Sergipe - Brasil
79 3712 7904
BRASÍLIA - DF
SHN Quadra 02, nº 87, Bloco F, Sala 818
Ed. Executive Office Tower – Asa Norte, CEP: 70.702.000
Brasília - Distrito Federal - Brasil
61 3771 5490
© Todos os Direitos Reservados - S.O.S VIDA