fbpx Lockdown e controle da pandemia | Correio | S.O.S Vida - Inovando em Saúde
Conheça a S.O.S Vida
Apresentação / Vídeo Institucional Nossa Equipe Núcleo Científico Conceito Linhas de Pesquisa Orientação para Pesquisadores Produções Prata da Casa Artigos / Estudos Certificação de Qualidade
Home Care
O que é Home Care Fluxograma do Home Care Vantagens do Home Care Legislação Acreditação Perguntas Frequentes
Saiba Mais
Artigos Dicas Informativos Notícias
Contato
Ouvidoria Trabalhe Conosco Contato
02 MAR 2021

A escalada no número de casos confirmados de coronavírus no estado da Bahia levou o governo a adotar medidas restritivas (lockdown) mais severas para frear o avanço da doença no estado.

Esse crescimento nos casos de infecções reflete diretamente no índice de ocupação dos leitos de UTI que, na Bahia, passa de 80%. Para frear o avanço do vírus e evitar o colapso do sistema de saúde, o governo do estado resolveu adotar um “lockdown” parcial.

Em entrevista ao jornal Correio da Bahia, o infectologista da S.O.S. Vida, Dr. Matheus Todt, destaca o motivo da adoção de tal medida.

“Na atual conjuntura, é a única coisa que a gente pode fazer […] Essa é uma medida de desespero, não é uma medida fácil, mas é o que temos. Senão, as pessoas vão morrer”, explica o especialista.

Segundo o infectologista, a eficácia da medida está ligada com o tempo que ela leva para ser adotada, pois, “o quanto antes ela for tomada, maior será o impacto no número de óbitos”, avalia.

Infectologista Matheus Todt

Doutor Matheus explica que o “lockdown” parcial estabelecido pelo governo funciona como uma medida de prevenção ao distanciar as pessoas, reduzindo assim a possibilidade de contaminação.

“Quando você distancia as pessoas, reduz a possibilidade de contaminação. Consequentemente, vai ter mais tempo entre uma infecção e outra, entre um paciente e outro nos hospitais. Então, se tivermos esse tempo, vamos ter um cenário melhor do que o de agora”.

Leia a matéria completa no jornal Correio: Entenda por que só o lockdown pode conter o avanço da covid-19 na Bahia

Comunicado oficial

Rui Costa, governador da Bahia faz apelo a população para reduzir o número de contágios da Covid-19 e evitar mortes.

Atualização

O site Metro1 noticiou (7/3) a fala do governador destacando que as medidas restritivas contribuíram para redução em 80% os casos da Covid-19 na Bahia.

“Uma semana antes do início das medidas, crescemos dez mil casos em apenas uma semana. Após a tomada das medidas, crescemos apenas dois mil casos. Ou seja, desaceleramos o crescimento da doença.

“Então está mais do que comprovado: o distanciamento social reduz a contaminação por coronavírus, concluiu.

Duração da medida

Embora a medida seja importante, os especialistas ouvidos pelo jornal explicam que tempo de três dias estabelecido para o cumprimento do “lockdown” não é o ideal, pois não contempla todo o ciclo da doença. O doutor Fábio Amorim avalia que o período mínimo deveria ser entre 10 e 14 dias para ser efetiva.

Para o infectologista da S.O.S. Vida, Matheus, a adoção dessa medida deveria se estender até que ocorra um alívio real dos sistemas de saúde. Além disso, a adesão da população é fundamental para que esse objetivo seja alcançado.

Lockdown em Salvador para conter a pandemia de Covid-19

O especialista faz um alerta que a ciência já provou a eficácia do lockdown e como ele é fundamental nesse momento, que é considerado o mais crítico da pandemia.

“[…] não há mais questão quanto ao lockdown do ponto de vista científico. É a única medida que reduz contaminação. Não tem cloroquina ou outro remédio. A vacina ainda está circulando lentamente. Essa é a última fronteira que temos para conter o avanço da covid-19”.

Jornal Correio fala do Lockdown na Bahia
Jornal Correio, 26/02/21
Leia também: Covid-19 – tire suas dúvidas sobre a vacinação

Efetividade das medidas restritivas

Em entrevista ao telejornal Balanço Geral (Record TV), o infectologista da S.O.S. Vida, Matheus Todt, explicou a relação entre medidas restritivas e a diminuição da contaminação da Covid-19.

“Medidas como essa, de restrição de mobilidade, isolamento social, medidas mais drásticas são extremamente importantes. Ao contrário do que alguns falam, são medidas cientificamente comprovadas, que tem impacto real na velocidade de adoecimento e, consequentemente na sobrecarga do sistema de saúde” explica Dr. Matheus.

Entenda a diferença entre as medidas restritivas

Distanciamento Social:

Ações que limitam o convício social para reduzir a propagação de doenças contagiosas. A distância seguida vai depender da forma de contaminação.

Isolamento Social:

Nesse caso, a pessoa se afasta de interações sociais de forma voluntária ou involuntária. O isolamento voluntário compreende a interrupção de atividades como reuniões familiares, encontros de amigos e aglomerações.

Quarentena:

Distanciamento social involuntário imposto por algum órgão de governo ou saúde às pessoas que foram presumidamente expostas a uma doença contagiosa. Essa é uma medida de saúde pública para impedir a disseminação da doença.

Toque de Recolher:

Proibição da circulação de pessoa a partir de determinada hora.

Lockdown:

Nesse caso, pessoas ficam proibidas de circular em locais públicos para reduzir a contaminação. Só é permitido ir aos locais considerados essenciais como farmácias e supermercados.

Empresa Acreditada:

Joint Commission International (JCI)

NEWSLETTER
ONDE ESTAMOS
SALVADOR - BA
Av. Dom João VI, 152, Brotas, CEP: 40.285.001
Salvador - Bahia - Brasil
71 3277 8004
ARACAJU - SE
Rua Itabaiana, 952, São José, CEP: 49.015.110
Aracaju - Sergipe - Brasil
79 3712 7904
BRASÍLIA - DF
SHN Quadra 02, nº 87, Bloco F, Sala 820
Ed. Executive Office Tower – Asa Norte, CEP: 70.702.000
Brasília - Distrito Federal - Brasil
61 3771 5490
© Todos os Direitos Reservados - S.O.S VIDA