fbpx Medidas restritivas contra o colapso do sistema de saúde | S.O.S Vida - Inovando em Saúde
Conheça a S.O.S Vida
Apresentação / Vídeo Institucional Nossa Equipe Núcleo Científico Conceito Linhas de Pesquisa Orientação para Pesquisadores Produções Prata da Casa Artigos / Estudos Certificação de Qualidade
Home Care
O que é Home Care Fluxograma do Home Care Vantagens do Home Care Legislação Acreditação Perguntas Frequentes
Saiba Mais
Artigos Dicas Informativos Notícias
Contato
Ouvidoria Trabalhe Conosco Contato
09 MAR 2021

Embora o debate sobre a eficácia de medidas mais rígidas para o controle de pandemia, como o lockdown, tenha se instalado, a maior parte da comunidade médica e científica defendem a efetividade e a necessidade de tais ações para evitar o colapso do sistema de saúde.

Os expressivos aumentos nos índices de ocupação de leitos de UTI, de casos ativos de infectados pela Covid-19, além do índice de mortes motivaram estados e municípios a decretarem medidas de restrição mais rígidas, em um esforço para frear a evolução dos números, evitando assim a saturação do sistema de saúde.

Em entrevista ao telejornal Balanço Geral (Record TV), o infectologista da S.O.S. Vida, Matheus Todt, explicou a relação entre medidas restritivas e a diminuição da contaminação da Covid-19.

“Medidas como essa, de restrição de mobilidade, isolamento social, medidas mais drásticas são extremamente importantes. Ao contrário do que alguns falam, são medidas cientificamente comprovadas, que tem impacto real na velocidade de adoecimento e, consequentemente, na sobrecarga do sistema de saúde” explica Dr. Matheus.

Confira a entrevista completa

Lockdown impacta na redução dos casos

Ainda falando sobre as restrições, o especialista explicou que, observando a experiência de países que adotaram o lockdown por um período de 2-3 semanas obtiveram um impacto maior na redução do número de casos.

O infectologista chama atenção para um ponto bastante relevante: a adesão da população às medidas estabelecidas, necessária para que o resultado que se busca com a adoção – evitar o colapso do sistema de saúde e manter a continuidade da assistência médica – possa ser alcançado.

“A gente vive uma situação de pré-colapso […] então, se não houver adoção de medidas e contribuição por parte da população, vamos entrar em um colapso pleno, ou seja, qualquer pessoa que precisar de um hospital não vai conseguir, seja ela Covid, seja ela qualquer outra situação”.

A falta de leitos de UTI é um fato que atinge o sistema de saúde na totalidade, tanto a rede pública, como a privada. Doutor Matheus alerta que, se nada for feito para contornar esse cenário, mais pessoas morrerão sem assistência adequada.

“O distanciamento social, ficar em casa – todos que puderem ficar em casa; uso da máscara de forma adequada – não é no cotovelo, não é no joelho, não é no queixo – e a higiene das mãos são medidas imprescindíveis.

Além disso, para os grupos que já tem a grande sorte de ter a vacina disponível: vacinar quanto antes. Não há vacina ruim, há vacina disponível. Aderência as medidas que a gente já conhece e a vacinação, vão ser as únicas medidas que vão nos tirar dessa pandemia que tem ceifado tantas vidas”.

Leia também: Lockdown e controle da pandemia
Empresa Acreditada:

Joint Commission International (JCI)

NEWSLETTER
ONDE ESTAMOS
SALVADOR - BA
Av. Dom João VI, 152, Brotas, CEP: 40.285.001
Salvador - Bahia - Brasil
71 3277 8004
ARACAJU - SE
Rua Itabaiana, 952, São José, CEP: 49.015.110
Aracaju - Sergipe - Brasil
79 3712 7904
BRASÍLIA - DF
SHN Quadra 02, nº 87, Bloco F, Sala 820
Ed. Executive Office Tower – Asa Norte, CEP: 70.702.000
Brasília - Distrito Federal - Brasil
61 3771 5490
© Todos os Direitos Reservados - S.O.S VIDA