Conheça a S.O.S Vida
Apresentação / Vídeo Institucional Nossa Equipe Núcleo Científico Conceito Linhas de Pesquisa Orientação para Pesquisadores Produções Prata da Casa Artigos / Estudos Certificação de Qualidade
Home Care
O que é Home Care Fluxograma do Home Care Vantagens do Home Care Legislação Acreditação Perguntas Frequentes
Saiba Mais
Artigos Dicas Informativos Notícias
Contato
Ouvidoria Trabalhe Conosco Contato
23 JUL 2020

O número de casos de síndromes gripais durante o inverno apresenta um aumento significativo quando comparada as demais estações do ano.

Isso ocorre, pois, as temperaturas mais baixas favorecem o tempo de sobrevivência do vírus da gripe no ambiente, o que aumenta as chances de se contrair uma doença gripal. Esse cenário torna-se ainda mais preocupante no contexto atual de pandemia da Covid-19, doença causada por um vírus.

Jaqueline Rocha, 35 anos, contou a reportagem do Jornal Correio a aflição que sentiu quando sua filha, de 3 anos, e o sobrinho, de 12, ambos com quadro de asma, passaram a apresentar diarreia, febre alta e coriza, alguns dos sintomas apresentados por pacientes infectados com o novo coronavírus. Felizmente, o quadro de Covid-19 não se confirmou.

A chegada da estação mais fria do ano em meio a alta taxa no número de novos casos confirmados de Covid-19 acende um alerta para as pessoas que já possuem alguma doença respiratória, como a rinite alérgica, sinusite, bronquite e asma. Tais doenças podem afetar o sistema imunológico, deixando a pessoa mais vulnerável a outras doenças, o que dá sentido ao drama vivenciado por Jaqueline e por muitos outros que convivem com doenças respiratórias pré-existentes.

“As pessoas que têm asma ou que já se encontram infectadas por resfriados, gripes ou outras doenças respiratórias têm inflamação no sistema respiratório e aumento na produção de muco, o que favorece, sim, o contágio por Covid-19”, explica a Dra. Patrícia Bagano, profissional da S.O.S. Vida, em entrevista ao Jornal Correio.

O infectologista Matheus Todt falou sobre doenças respiratórias e Covid-19 no Jornal Correio
Confira a matéria completa no site do Correio: Doenças respiratórias ampliam risco da covid-19

COVID-19 X DOENÇAS RESPIRATÓRIAS

A distinção entre os sintomas da Covid-19 e as demais doenças respiratórias já existentes com maior nível de ocorrência durante o inverno é um desafio.

“Na maioria desses quadros de infecção respiratória há a presença de infecção nasal, tosse, dores de cabeça e no corpo, prostração, cansaço e febre, tornando o diagnóstico clínico quase impossível”, pontua Dr. Matheus Todt, infectologista da S.O.S. Vida.

Quem possui alguma doença respiratória deve ficar atento, pois, não só o novo coronavírus, mas outros agentes como o H1N1 e a Influenza podem se manifestar de forma grave, podendo evoluir para quadros fatais. Dr. Matheus aconselha que, pessoas com doenças respiratórias pré-existente busquem auxílio médico imediatamente. Ele indica ainda, que a pessoa busque a realização de uma tomografia, “pois o raio-x não aponta a extensão de danos no pulmão”, explica.

O infectologista ressalta ainda que o grande problema da covid-19 é a resposta inflamatória desenvolvida por alguns organismos.  Matheus Todt destaca que, apesar dos estudos ainda não conseguirem responder o porquê algumas desenvolvem a reação, é ela que leva a chamada tempestade inflamatória, responsável por levar às pessoas à UTI e às vezes a óbito.

“Cerca de 80% dos pacientes contaminados com o novo coronavírus vão desenvolver sintomas leves, no entanto, 5% deles desenvolvem as formas graves e dentro desse universo, 45% pode morrer”, completa.

Por isso a melhor forma de cuidado é manter as medidas de precaução em relação ao Coronavírus: higienizar as mãos e objetos de uso frequente, usar máscara e manter o distanciamento social.

Confira o Ebook: Coronavírus – Orientações e Cuidados na Atenção Domiciliar

GRIPE, RESFRIADO E COVID-19: LIVE SEMANA DO CUIDADO

O infectologista Matheus Todt participou da Semana do Cuidado na Atenção Domiciliar com a live “Gripe, Resfriado e Covid-19 – Sintomas e Cuidados”.

A palestra foi realizada no dia 16/07 ao vivo no Youtube. Confira ao vídeo completo.

PRINCIPAIS DOENÇAS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO

portal Drauzio Varella elaborou um infográfico que ajuda a entender as diferenças e principais sintomas entre rinite, sinusite, faringite, laringite, bronquite e asma, as principais doenças que afetam o sistema respiratório. A imagem também ajuda a entender as regiões que cada doença atua.

Principais doenças que afetam o sistema respiratório
Fonte: www.drauziovarella.com.br

Rinite [mucosa do nariz]

A rinite é uma doença inflamatória da mucosa do nariz. A inflamação é desencadeada ou agravada pelo contato com alérgenos, como os ácaros da poeira doméstica, pelos de animais, fungos, pólen, perfume, entre outros. Obstrução nasal, coriza, coceira no nariz e espirros são os sintomas mais comuns.

Sinusite [seios da face]

A sinusite é uma inflamação da mucosa dos seios da face, região do crânio formada por cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos. É provocada por processos infecciosos ou alérgicos que facilitam a instalação de germes e causam dor de cabeça e na face, secreção nasal e congestão nasal.

Laringite [laringe]

A laringite é a inflamação da laringe, órgão localizado na garganta, que conecta a faringe à traqueia. É causada por infecção viral das vias aéreas superiores, excesso de esforço vocal, reação ou inalação de agentes alérgicos. O principal sintoma é a rouquidão na voz, mas também pode haver tosse e dor de garganta.

Faringite [faringe]

A faringite é uma infeção respiratória caracterizada pela inflamação da faringe, parte posterior da garganta, responsável por conectar o nariz e a boca à laringe e ao esôfago. Pode ser causada pela infecção de bactérias ou vírus, e os principais sintomas são dor de garganta e dificuldade para engolir.

Bronquite [brônquios]

A bronquite é a inflamação dos brônquios, tubos que levam o ar até os pulmões. A doença ocorre quando os cílios que revestem o interior dos brônquios não eliminam o muco adequadamente. A secreção acumulada deixa os brônquios inflamados e contraídos. O principal sintoma é a tosse.

Asma [bronquíolos]

A asma causa o estreitamos dos bronquíolos, pequenos canais de ar dos pulmões, o que dificulta a passagem do ar e provoca contrações ou broncoespasmos. Quando estão inflamados, os bronquíolos acumulam muco, agravando o problema. Falta de ar e tosse seca são sintomas comuns.

Empresa Acreditada:

Joint Commission International (JCI)

Empresa afiliada:

Associação Nacional de Hospitais Privados Anahp

NEWSLETTER
ONDE ESTAMOS
SALVADOR - BA
Av. Dom João VI, 152, Brotas, CEP: 40.285.001
Salvador - Bahia - Brasil
71 3277 8004
ARACAJU - SE
Rua Itabaiana, 952, São José, CEP: 49.015.110
Aracaju - Sergipe - Brasil
79 3712 7904
BRASÍLIA - DF
SHN Quadra 02, nº 87, Bloco F, Sala 818
Ed. Executive Office Tower – Asa Norte, CEP: 70.702.000
Brasília - Distrito Federal - Brasil
61 3771 5490
© Todos os Direitos Reservados - S.O.S VIDA