fbpx Ebook Coronavírus: Orientações e Cuidados na Atenção Domiciliar | S.O.S Vida - Inovando em Saúde
Conheça a S.O.S Vida
Apresentação / Vídeo Institucional Nossa Equipe Núcleo Científico Conceito Linhas de Pesquisa Orientação para Pesquisadores Produções Prata da Casa Artigos / Estudos Certificação de Qualidade
Home Care
O que é Home Care Fluxograma do Home Care Vantagens do Home Care Legislação Acreditação Perguntas Frequentes
Saiba Mais
Artigos Dicas Informativos Notícias
Contato
Ouvidoria Trabalhe Conosco Contato
05 JUN 2020

O mundo está enfrentando uma crise de saúde de proporções inéditas, exigindo de todos a adoção de medidas voltadas ao combate da pandemia.

Essas medidas precisam ser adotadas de forma rigorosa por todas as pessoas, sobretudo por aquelas que atuam direta ou indiretamente em instituições de saúde.

Muito ainda não se sabe sobre o novo Coronavírus, não existe vacina e nem tratamento específico, ou seja, os conhecimentos necessários para combater a epidemia estão sendo obtidos conforme estudos vão sendo realizados. Nesse sentido, a informação torna-se um remédio crucial no combate a Covid-19, uma vez que quanto mais informações tivermos sobre esse inimigo em comum, mais estratégias e formas de combatê-lo poderemos desenvolver.

Pensando nisso, a S.O.S. Vida elaborou um e-book reunindo algumas informações sobre o que já se sabe sobre o coronavírus: principais aspectos da doença, formas de transmissão, como prevenir a infecção, medidas de higienização, entre outros.

Ebook com orientações e cuidados com o Coronavírus na Atenção Domiciliar

Além disso, o material traz recomendações que precisam ser incorporadas à rotina, como o que deve ser feito ao retornar ao domicílio, o cuidado com os idosos – que são considerados grupo de risco –, a adoção de hábitos alimentares mais saudáveis para fortalecer o sistema imunológico, cuidado com a saúde mental e recomendações específicas para os profissionais de saúde.

O e-book conta ainda com recomendações dos colaboradores do corpo técnico da empresa, que reafirmam a necessidade de adotarmos as medidas e estratégias para preservar a nossa saúde e a do próximo.

Leia também: Covid-19, gripes e resfriados: entendendo os sintomas

BAIXE O EBOOK CORONAVÍRUS: ORIENTAÇÕES E CUIDADOS NA ATENÇÃO DOMICILIAR

Acesse também a versão digital do Ebook

CONFIRA O CONTEÚDO COMPLETO DO EBOOK

HOME CARE EM TEMPOS DE CORONAVÍRUS

A pandemia de Covid-19 é um evento de proporções e velocidade inéditas. Esses dois fatores exigiram de toda a sociedade medidas duras que tiveram que ser tomadas de forma célere.

Como instituição de saúde, realizamos ajustes em nossa operação para manter os atendimentos dos nossos pacientes e adotamos também uma série de medidas para garantir a segurança de nossos profissionais, tanto nas atividades administrativas, quanto nos atendimentos assistenciais.

Em paralelo, iniciamos diálogos com operadoras e hospitais, para desenvolver uma estratégia que permitisse acelerar as admissões para Home Care com o objetivo de liberar leitos necessários nos hospitais.

Todas essas decisões foram tomadas em conjunto no Comitê de Crise implantado na S.O.S. Vida no dia 16/03, logo quando os casos de Covid-19 começaram a se intensificar.

As contribuições das empresas de Home Care em meio a pandemia estão bem alinhadas com as recomendações das autoridades de saúde. Quando conseguimos desospitalizar o paciente para dar continuidade ao seu tratamento no domicílio, estamos tirando ele de uma situação de aglomeração dentro do hospital, possibilitando o confinamento social e, ainda, liberando leitos nos hospitais. Claro que o Home Care não substitui os hospitais, mas somos um forte aliado nessa situação.

A Covid-19 é uma situação de saúde em proporções inéditas na história da humanidade, precisamos nos preparar o melhor possível e nos adaptar constantemente diante do avanço do contágio. Sabemos das dificuldades, dos riscos e dos desafios, mas seguimos em frente para cumprir nosso propósito: Cuidar de Pessoas.

José Espiño, presidente da S.O.S. Vida

José Espiño, presidente da S.O.S. Vida

PRINCIPAIS PONTOS SOBRE A COVID-19

O que é COVID-19?

A COVID-19 é uma doença infecciosa causada pelo novo Coronavírus. Ele apresenta sintomas semelhantes à gripe, além de causar problemas respiratórios.

Quais são os sintomas?

Os sintomas mais comuns são: febre, tosse seca e cansaço. Em alguns casos pode estar associado a dores e desconforto, dor de garganta, diarreia, conjuntivite, dor de cabeça, perda de paladar ou olfato. Nos quadros mais graves pode apresentar dificuldades de respirar ou falta de ar.

Importante lembrar que a grande maioria das pessoas se recupera da doença sem a necessidade de tratamentos especiais. Também é possível estar infectado com a COVID-19 sem apresentar sintomas (assintomático).

Transmissão

A COVID-19 é transmitida principalmente pelas gotículas liberadas pela tosse e espirro de pessoas infectadas com o vírus. O contágio acontece quando o vírus entra em contato com mucosas do olho, nariz e boca.

Porém, a transmissão também pode acontecer por meio do contato físico com as mãos de quem está infectado ou superfícies e objetos contaminados (mesa, cadeira, corrimão, teclados, etc).

Tratamento

Não existe tratamento específico contra a Covid-19. Os pacientes infectados recebem uma medicação para aliviar os sintomas.

Importante: Evite automedicação – existe indicações de algumas substâncias (Ibuprofeno, corticoides e aspirina) que não devem ser usadas em casos de Covid-19. As recomendações: repouso e consumo de bastante água.

Orientações Médicas

Em caso de suspeita ou surgimento de sintomas gripais, a recomendação do Ministério da Saúde é permanecer em casa e em isolamento social por sete dias. Buscar atendimento em hospitais aumenta o risco de exposição para o contágio seu ou das pessoas que entrar em contato.

Se os sintomas não melhorarem nos 7 dias ou apresentarem agravamento, a recomendação é buscar um posto de saúde ou consultório médico. O hospital deve ser a alternativa apenas para os casos mais graves.

Grupos de Risco

Todos as pessoas estão sujeitas a contrair a Covid-19, porém a doença tem se mostrado mais severa e com maior grau de letalidade em indivíduos acima de 60 anos e portadores de outras comorbidades como diabetes, hipertensão, obesidade e doenças respiratórias crônicas. Para esses grupos de pessoas o cuidado precisa ser intensificado.

A vacina da gripe funciona para o Coronavírus?

A atual vacina da gripe disponibilizada pelo Ministério da Saúde não impede o contágio da COVID-19. Porém, a diminuição dos casos de gripe comum reduz a necessidade de buscar cuidados médicos, diminuindo o contato com outros doentes e contribuindo para não sobrecarregar o sistema de saúde nesse momento.

“É importante destacar que, apesar de não termos tratamento específico para a Covid-19, a grande maioria das pessoas que fica doente se recupera. Ainda assim, trata-se de uma doença séria e altamente infecciosa. Por isso, é necessário redobrar os cuidados para não transmitir a doença, principalmente para pessoas nos grupos de risco”, Edgard Passos, pneumologista e coordenador médico da S.O.S. Vida Bahia

NOVO CORONAVÍRUS: FORMAS DE TRANSMISSÃO

PELO AR

Gotículas de saliva com vírus saem no espirro, na tosse, no catarro e na fala. As gotículas com vírus entram em contato com mucosas, como boca, olhos e nariz, levando o vírus para dentro do corpo humano e causando a infecção.

POR CONTATO

Beijo: troca direta de saliva com o vírus.

Aperto de mão: vírus na pele entra em contato com o olho, nariz e boca.

Abraço: gotículas da fala entram em contato com mucosas.

SUPERFÍCIES NÃO HIGIENIZADAS

Vírus depositado por gotículas passa para a mão; toque nos olhos, nariz e boca causam infecção.

  • Celulares
  • Maçanetas
  • Corrimão
  • Botões
  • Teclas
  • Apoios de transporte público

COMO PREVINIR A COVID-19

A transmissão do Coronavírus acontece através de pessoas. Seja por contato direto com respingos de tosse, espirros e fala, ou pelo contato com superfícies e objetos infectados pelas mesmas gotículas das pessoas infectadas.

Por isso que a forma mais eficiente de evitar a propagação do contágio é através do distanciamento e isolamento social. Apesar de ser uma solução difícil, essa é a recomendação das autoridades de saúde em todo mundo.

“Apesar de difícil, o isolamento é uma medida necessária. Em países como a Itália, por exemplo, foram mais permissivos no início e viveram um caos com altos índices de mortalidade causados pela Covid-19. Já na Coreia do Sul, onde as medidas de isolamento foram mais firmes, a epidemia avançou de forma mais limitada”, Matheus Todt, infectologista.

Lavar as mãos salva vidas

Além do isolamento é preciso adotar de forma rotineira hábitos higiênicos que contribuem para evitarmos contrair e passar adiante o vírus, reduzindo assim o contágio da Covid-19.

A medida mais simples e eficaz é, sem dúvida, lavar as mãos com água e sabão da maneira correta.

“As mãos tendem a acumular vírus, bactérias e outros microrganismos, e a qualquer momento podemos levá-las em contato com a boca, olhos e nariz, realizando assim uma transmissão e possível contaminação, além disso, corremos o risco de contaminar outras pessoas, através do toque direto ou contato com superfícies (mesas, cadeiras, maçanetas, corrimão) ou objetos compartilhados (teclado, copos, celular, etc). Lavar as mãos com água e sabão de maneira frequente é com certeza um hábito que devemos adotar,” Matheus Todt, infectologista da S.O.S. Vida Sergipe.

Como lavar as mãos corretamente?

Apesar de ser uma tarefa simples é necessária uma técnica correta para que a lavagem das mãos seja feita de forma efetiva.

“Lavar as mãos com água e sabão é uma prática altamente recomendada em toda área de saúde, porém, é preciso utilizar a técnica correta, lavando toda a mão, não só as palmas, incluindo, dedos, dorso das mãos, pulsos e punhos. Essa é considerada uma maneira efetiva de reduzir infecções e transmissão de vírus, como no caso do Coronavírus”, destaca Samanta Campos, supervisora de enfermagem da S.O.S. Vida Bahia.

HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: PASSO A PASSO

1 – Abrir a torneira e molhar as mãos, evitando encostar-se à pia.

2 – Aplicar na palma da mão quantidade suficiente de sabonete líquido.

3 – Ensaboar as palmas das mãos, friccionando-as entre si.

4 – Esfregar a palma da mão direita contra o dorso da mão esquerda, entrelaçando os dedos, e vice-versa.

5 – Entrelaçar os dedos e friccionar os espaços interdigitais.

6 – Esfregar o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta, segurando os dedos, com movimento de vai-e-vem, e vice-versa.

7 – Esfregar o polegar direito com o auxílio da palma da mão esquerda, realizando movi- mento circular, e vice-versa.

8 – Esfregar o punho esquerdo com o auxílio da palma da mão direita, realizando movimento circular, e vice-versa.

9 – Friccionar as polpas digitais e as unhas da mão contra a palma da mão, fechada em concha, fazendo movimento circular, e vice-versa.

10 – Secar as mãos com papel toalha descartável, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos.

11 – No caso de torneiras com contato manual para fechamento, sempre utilizar papel toalha.

12 – A higienização simples das mãos deve ter duração de 40 a 60 segundos.

Ebook Coronavírus: Orientações e Cuidados na Atenção Domiciliar 1

Máscaras caseiras

A recomendação do Ministério da Saúde e da Anvisa é que a população em geral adote o uso de máscaras de tecido, produzidas em casa ou por empresas.

Especialistas explicam que o uso de máscaras caseiras pode reduzir de 60 a 70% da carga do vírus exalada pela pessoa contaminada, esteja ela sintomática ou não. Reduzindo assim as possibilidades de contaminação de outras pessoas, protegendo a si mesmo e a comunidade.

“O uso das máscaras de tecido devem contribuir para reduzir a circulação do vírus entre as pessoas que precisam circular em ambientes públicos na comunidade. Porém, é preciso lembrar que não é uma medida 100% eficaz, por isso os cuidados com higiene e o afastamento social não podem ser abandonados nessa fase”, Samanta Campos, supervisora de enfermagem da S.O.S. Vida Bahia.

Os riscos do uso inadequado de máscaras.

Apesar dos benefícios é preciso estar atento as precauções para o uso correto das máscaras, seja elas caseiras ou de uso profissional.

Em primeiro lugar, é preciso ter cuidado ao colocar ou retirar o acessório.

Em seguida, é recomendável lavar a mão. Também é necessário cuidado para não tocar na máscara e no rosto com a mão suja. Após o uso, a máscara não deve ser guardada diretamente no bolso ou bolsa, ela deve ser guardada em uma sacola plástica ou envelope de papel.

A máscara protege a boca e nariz, contudo também há risco de contágio pela mucosa dos olhos. Por isso, é indicado evitar aglomeração e manter o isolamento social mesmo para quem está de máscara.

Outra medida importante é trocar o equipamento a cada 3 horas ou quando estiver molhada. Portanto, é indicado ter entre 4 e 5 máscaras de tecido em casa, que podem ser lavadas após o uso com água e sabão.

Como lavar a máscara de tecido.

  • Faça a imersão da máscara em recipiente com água potável e água sanitária (2,0 a 2,5%) por 30 minutos. A proporção de diluição a ser utilizada é de 1 parte de água sanitária para 50 partes de água (Por exemplo: 10 ml de água sanitária para 500ml de água potável).
  • Após o tempo de imersão, realizar o enxágue em água corrente e lavar com água e sabão.
  • Após lavar a máscara, a pessoa deve higienizar as mãos com água e sabão.
  • A máscara deve estar seca para sua reutilização.

Deixe o vírus fora de sua casa

Algumas dicas simples devem ser adotadas na rotina de todos que habitam o domicílio para tornar mais efetiva as medidas de prevenção.

  • Ao voltar para casa, não toque em nada antes de se higienizar;
  • As roupas devem ser tiradas assim que chegar e colocadas em uma sacola plástica no cesto de roupas;
  • Se possível, tome banho assim que chegar;
  • Óculos devem ser higienizados com mais frequência;
  • Relógios, anéis, pulseiras e outros acessórios que fiquem em contato com as mãos e os braços devem ser evitados;
  • Bolsas, pastas, sacolas e produtos que venham da rua precisam ser higienizados com papéis absorventes ou panos descartáveis;
  • Objetos da casa que são manipulados por mais de uma pessoa ou com muita frequência, como controle remoto, celular, teclado do computador/notebook, devem ser limpos com desinfetantes ou álcool;
  • Sempre que possível, mantenha as janelas abertas e o ambiente arejado o maior tempo possível, pois o sol ajuda a matar o vírus nas superfícies;
  • Se for passear com seu animal de estimação, tente evitar que se esfregue contra superfícies externas. Desinfete as patas deles quando retornar para casa;
  • Evite usar dinheiro. Se for necessário utilizar, higienize as mãos imediatamente;
  • Evite utilizar o transporte público. Quando não for possível, higienize as mãos ao entrar e sair dos veículos.

Cuidado com idosos

Por conta do decréscimo natural do sistema imunológico, os idosos estão mais vulneráveis a infecções, sendo considerados público de risco para qualquer doença.

No caso do Coronavírus, esse entendimento é ainda mais forte, uma vez que os idosos, principalmente aqueles acima dos 80 anos, apresentam a possibilidade de manifestar um grande déficit pulmonar e doenças cardiovasculares.

Por isso as medidas de prevenção precisam ser intensificadas para cuidarmos bem das pessoas mais velhas. Como:

  • Adotar o isolamento domiciliar e limitar visitas;
  • Evitar contato, se necessário manter a distância de 1 a 2 metros;
  • Redobrar cuidados com higiene e lavagem das mãos;
  • Manter o domicílio arejado e com exposição solar;
  • Aumentar cuidados com alimentação e hidratação;

Fortalecendo o sistema imunológico

Algumas adaptações precisam ser feitas para lidar da melhor forma possível com a quarentena.

O primeiro ponto é reforçar o sistema imunológico, que é responsável pela proteção do organismo, portanto ajuda no combate contra vírus e bactérias de forma geral. Adotar uma alimentação saudável vai contribuir diretamente para o sistema imunológico.

“Isso não vai combater o Coronavvírus, mas serve para melhorar a imunidade e diminuir o nível de infecção causada pelo vírus. Caso haja o contágio, o organismo estará mais fortalecido para que não desenvolva formas mais graves da doença”, Edneuza Nascimento, nutricionista da S.O.S. Vida Bahia.

Dicas para fortalecer o sistema imunológico

  • Coma mais frutas, verduras, legumes e fibras;
  • Reduza ingestão de produtos industrializados;
  • Evite alimentos ricos em açúcar e sal;
  • Consuma frutas ricas em vitamina C;
  • Consuma oleaginosas como: amêndoas, nozes, castanha-do-Pará;
  • Beba, no mínimo, 2 litros de água por dia – não espere sentir sede, pois esse é um sinal que o corpo já está desidratado;
  • Encontre um cantinho no seu domicílio para realizar exercícios físicos diariamente – ajudam a reduzir o stress e a ansiedade;
  • Tente se expor ao sol pelo menos 15 minutos no período das 12 às 14h para evitar a deficiência da Vitamina D;
  • Tenha uma rotina regular de sono.

Cuide da saúde mental

A distância e o isolamento social, apesar de necessários, podem trazer consequências negativas para saúde mental dos indivíduos, pois provoca uma ruptura abrupta na rotina natural da vida, que precisa ser reconfigurada nesse momento.

Para lidar com essa nova realidade é importante adotar algumas práticas que torne o processo e o ambiente familiar mais leve. Adotar uma rotina que não seja engessada, e até mesmo envolver as crianças nos trabalhos domésticos para que elas se sintam úteis ao participar, são algumas das estratégias que podem ser tomadas.

É necessário ressignificar o confinamento e tratar as relações pessoais com mais cuidado. Pensar nessas estratégias pode nos ajudar a construir um relacionamento saudável com o outro, nesse momento tão complexo como o que enfrentamos atualmente.

Algumas pequenas atitudes podem trazer benefícios imensos para esses momentos de afastamento social. Mas vale lembrar que não é necessário exageros ou cobranças excessivas, que podem trazer mais malefícios do que benefícios.

  1. Interação virtual – Mantenha contato com as pessoas próximas através de chamadas de vídeo ou ligações telefônicas. Essa medida ajuda a diminuir a sensação de distanciamento. Vale até mesmo marcar atividades em grupo através de aplicativos de videoconferência.
  • Planeje seu tempo – Gerencie a vontade de fazer tudo ao mesmo tempo. Elabore as tarefas e faça com calma, para que elas não se esgotem muito rapidamente. Dedique-se também a atividades prazerosas, como ler ou escutar música.
  • Evite pânico – Atitudes com estocar comida ou espalhar más notícias não tendem a ser positivas, apenas causa a sensação de pânico que pode “contaminar” as pessoas próximas.
  • Seja criativo – Utilize a internet e redes sociais para buscar outras ideias para fugir da rotina. Uma receita nova para o almoço, uma dica de jogo entre família, conhecer novos autores ou bandas, enfim, são pequenas opções que ajudam a quebrar a rotina.

“A crise faz com que a gente lide com perdas e, esse isolamento, considerando que crescemos numa cultura do abraço, do beijo – e isso é significativo para nós, seres humanos, e para nós brasileiros especificamente – traz um impacto muito grande.

É o momento de ressignificar, é o momento de olhar para o outro, de poder consertar o que não estava bom, o que precisa ser ajustado, para que nossa relação possa ser mais saudável”, Cláudia Cruz, psicóloga S.O.S. Vida Bahia.

Recomendações sobre uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) na Atenção Domiciliar

Destacamos aqui as recomendações aos profissionais de saúde sobre o uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) nos atendimentos na Atenção Domiciliar (Home Care).

Importante ressaltar a necessidade do uso racional dos insumos, pois a utilização sem critérios pode ocasionar na falta destes recursos em momentos que eles sejam indispensáveis para garantir a segurança de nossos colegas profissionais de saúde.

  • O uso de EPIs é obrigatório para os profissionais durante o atendimento dos pacientes. O objetivo destes equipamentos é proteger o indivíduo da exposição a uma doença infecciosa, suspeita ou confirmada, durante um contato próximo.
  • O uso das máscaras de tecido é altamente recomendado para familiares e pessoas próximas aos pacientes em Home Care, além das medidas de prevenção como manter o distanciamento social e higiene rigorosa das mãos e superfícies.
  • Como medida preventiva, nenhum colaborador com sintoma respiratório irá realizar atendimento. O colaborador será afastado das atividades pelo tempo necessário para resolução da sua patologia.
  • Devem ser restritas, ao menor número possível, a presença de acompanhantes e visitas a todos os pacientes em Home Care, e suspensas até segunda ordem, aos suspeitos de COVID-19.

Mantenha-se informado

Em meio a tanta informação, é importante buscarmos fontes seguras para nos manter informados.

O Ministério da Saúde tem desempenhado um papel de destaque organizando, informando e educando a população com informações seguras sobre o Coronavírus.

Além do site oficial https://coronavirus.saude.gov.br/, e do Disque Saúde (136) foi lançado dois novos recursos extremamente úteis:

1.Aplicativo para Smartphones onde é possível se informar sobre descrições de sintomas, dicas de prevenção e um mapa com as unidades de saúde. O aplicativo está disponível para Android e IOS (Iphone).

2.Assistente virtual (Chatbot) para avaliação e também tirar dúvidas sobre a Covid-19.

Basta acessar https://coronavirus.saude.gov.br/telesus

Acompanhe também nossos conteúdos e atualizações sobre o Coronavírus em nosso site: sosvida.com.br/coronavírus e também em nossas redes sociais: Instagram | Facebook | Youtube

Empresa Acreditada:

Joint Commission International (JCI)

NEWSLETTER
ONDE ESTAMOS
SALVADOR - BA
Av. Dom João VI, 152, Brotas, CEP: 40.285.001
Salvador - Bahia - Brasil
71 3277 8004
ARACAJU - SE
Rua Itabaiana, 952, São José, CEP: 49.015.110
Aracaju - Sergipe - Brasil
79 3712 7904
BRASÍLIA - DF
SHN Quadra 02, nº 87, Bloco F, Sala 818
Ed. Executive Office Tower – Asa Norte, CEP: 70.702.000
Brasília - Distrito Federal - Brasil
61 3771 5490
© Todos os Direitos Reservados - S.O.S VIDA