3 de setembro de 2021

Processo de implantação em Home Care é individualizado

Plano de Atenção Domiciliar leva em conta as especificidades de cada paciente.

Quando um indivíduo que está no hospital recebe a indicação médica de continuar o tratamento em casa, por meio de Home Care, começa a jornada do paciente, que envolve uma série de procedimentos técnicos e administrativos até ele ser plenamente assistido em seu domicílio.

Essa jornada tem início com a avaliação/elaboração do Plano de Atenção Domiciliar (PAD), após a recepção do pedido médico validado pela Operadora de Plano de Saúde.

O PAD é individualizado e considera o quadro clínico de cada paciente, bem como as especificidades de cada operadora, além de contemplar o planejamento da assistência e os recursos profissionais que serão envolvidos, como médico, enfermeiro, nutricionista, fisioterapeuta e outros profissionais. Tudo com base na indicação clínica de cada caso individualmente.

Para o sucesso dessa jornada, a S.O.S. Vida compartilha com o paciente/família o PAD previsto, bem como qual a estrutura domiciliar necessária para a eficácia dos cuidados, considerando os requisitos estabelecidos pela RDC11/2006 da ANVISA.

A gerente da unidade de Brasília, Efigênia Vieira, lembra que a partir da solicitação do plano de saúde, a S.O.S. Vida faz uma avaliação clínica do paciente e que o regime de assistência é definido seguindo os critérios NEAD/ABMID e a norma de admissão e permanência da empresa.

É importante lembrar que cada paciente tem seu PAD personalizado, elaborado pela S.O.S. Vida em conjunto com o médico assistente. Depois que todos os parâmetros são avaliados, o PAD é encaminhado para a operadora. Nessa etapa, a operadora pode sugerir mudanças. Após esse alinhamento e a recepção da autorização a S.O.S. Vida dá início ao processo de implantação.

Efigênia Vieira

Alta hospitalar/implantação

Após a autorização pelo plano de saúde, o processo de implantação da assistência domiciliar inclui a montagem da estrutura necessária para que o paciente chegue em casa com segurança.

Neste momento é realizada uma confirmação do quadro clínico do paciente, com o objetivo de ratificar se necessidades identificadas no processo de avaliação/elaboração do PAD referente a recursos profissionais, mobiliários, equipamentos e suprimentos estão mantidas.

A S.O.S. Vida possui mais de 20 anos de experiência nesse processo. Com todos os recursos necessários instalados no domicílio do paciente e a alta hospitalar oficializada, a equipe técnica promove a implantação.

A acolhida do paciente é realizada pela equipe de enfermagem, a qual ratifica o PAD, os direitos e deveres da família e do paciente, esclarecem a frequência de visita da equipe multiprofissional e a condução do tratamento no âmbito domiciliar.

Além da assistência em casa, esse paciente conta com todo o suporte 24 horas para urgência e emergência.

Operação ágil

Antes de o paciente ser instalado com segurança em sua residência, uma complexa operação é montada pela S.O.S. Vida. No momento em que o Home Care é autorizado pela operadora do plano de saúde e o paciente é liberado pela equipe técnica do hospital para continuar o tratamento em casa, a empresa entra em contato com a família para informar o que contempla a autorização e o que foi alinhado com o médico.

Simultaneamente, a S.O.S. Vida entra em contato com a equipe médica, com a enfermagem e o serviço social do hospital para acertar os detalhes da desospitalização. 

No momento em que o PAD é autorizado, internamente a empresa inicia o processo de montagem da equipe de profissionais que vai atuar no domicílio (a depender do caso podem ser médicos, fisioterapeutas, psicólogos, enfermeiros, técnicos e outros).

O processo de estruturação envolve ainda o setor de suprimentos e logística, que providencia os medicamentos e a dieta, e a área de Infraestrutura, que cuida de equipamentos e mobiliários.

“No momento em que o paciente vai sair do hospital, toda essa estrutura já está montada”, ressalta Fernanda Gama, que lembra que todo esse processo é realizado habitualmente em até 24 horas.

fernanda gama

Parceria dá bons resultados

A pandemia da COVID-19 fez com que os hospitais agilizassem os protocolos visando à desospitalização para o Home Care. Segundo explica Fernanda Gama, gerente de relacionamento com o mercado (BA), a S.O.S. Vida trabalhou em parceria com as operadoras de saúde e os hospitais para garantir um tempo de desospitalização mais curto. Com isso, houve uma oferta maior de leitos hospitalares, principalmente para pacientes acometidos pela COVID-19.

Toda a parte de autorização junto às operadoras foi reduzido e o serviço de assistência social dos hospitais foi um grande parceiro nesse processo.

“Foi um trabalho conjunto entre as três partes envolvidas”, destaca a gerente.

Antes da pandemia, o processo durava um dia ou mais e, depois desse acordo, a S.O.S. Vida passou a admitir pacientes no mesmo dia.

“O próprio hospital passou a identificar os pacientes com potencial de ir para Home Care precocemente”.

Fernanda destaca ainda que houve um aumento da assistência de pacientes com sequelas pós-COVID-19, com a maioria precisando de reabilitação respiratória e motora. Houve uma discreta redução de internamentos oriundos de procedimentos eletivos, mas o número de pacientes neurológicos e oncológicos se manteve estável.

Deixe um comentário

Assine a nossa Newsletter e receba conteúdos sobre Saúde e Home Care