Conheça a S.O.S Vida
Apresentação / Vídeo Institucional Nossa Estrutura Núcleo Científico Conceito Linhas de Pesquisa Orientação para Pesquisadores Produções Prata da Casa Artigos / Estudos Certificação de Qualidade
Nossos Serviços
Internação Domiciliar Cuidados Paliativos Ambulatório Oncologia Centro de Infusão de Medicamentos Especiais - CIME
Saiba Mais
Notícias Informativos Dicas
Contato
Ouvidoria Trabalhe Conosco Contato

Estabelecer uma boa comunicação com os familiares dos pacientes em cuidados paliativos é fundamental para que o tratamento ocorra da melhor maneira possível. Quem afirma é amédica Dalva Yukie Matsumoto, coordenadora do Serviço de Cuidados Paliativos do Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo e diretora do Instituto Paliar, que esteve no último dia 7 de junho ministrando palestra durante o Café Paliativo Integrativo de Salvador, realizado na Associação Bahiana de Medicina, em Ondina. Esse evento é mensalmente organizado por um hospital ou serviço de saúde, e nesta edição teve como responsável a S.O.S. Vida, pioneira em Home Care na Bahia, que desenvolve um Programa de Cuidados Paliativos atuando desde 2010, hoje com a maioria dos profissionais formados pelo Instituto Paliar.

Falando para uma platéia formada por profissionais do setor de saúde, a palestrante abordou diversos aspectos relacionados ao tema, entre eles o próprio conceito de família, que vem mudando ao longo dos anos. Seguindo ela, as famílias encolheram e algumas delas não são mais consanguíneas. “É importante que a equipe de saúde aprenda a dialogar com esses novos modelos”, ressalta a especialista.

A palestrante disse ainda que em cuidados paliativos todos os profissionais são importantes na relação com a família. Muitas vezes a assistente social tem mais abertura para dialogar com os familiares do que a psicóloga. “Toda a equipe deve ser treinada para desenvolver esse olhar de integração e também a capacidade de acolhimento”.

A médica destacou ainda que tem percebido, no seu dia-a-dia, que a comunicação com a família é fundamental para minimizar os conflitos no curso do tratamento. Segundo ela, o foco deve integrar paciente e família. Esta última, às vezes, é quem mais precisa de apoio, pois não sabe lidar com a situação.

A Dra. Ana Rosa Humia, Coordenadora Médica da Atenção Domiciliar e também do Programa de Cuidados Paliativos da S.O.S. Vida, ressalta o alto nível da palestra, que serviu para integrar o setor, alinhando conceitos e consolidando a cultura de Cuidados Paliativos em Salvador.

 

Desde 2016 a S.O.S. Vida é filiada à Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP), instituição fundada em 2005 que contribuiu para a regularização profissional do paliativista, bem como da representação da prática paliativa no Brasil.

Os Cuidados Paliativos foram definidos pela Organização Mundial de Saúde em 2002, e reiterada em 2014, como uma forma de assistência que visa melhorar a qualidade de vida de pacientes e familiares que enfrentam doenças potencialmente ameaçadoras para a continuidade da vida.

Empresa afiliada:

Associação Nacional de Hospitais Privados Anahp

Empresa afiliada:

Nead

Empresa Acreditada:

Joint Commission International (JCI)

ONDE ESTAMOS
SALVADOR - BAHIA
Av. Dom João VI, 152, Brotas, CEP: 40.285.001
Salvador - Bahia - Brasil
71 3277 8004
ARACAJU - SERGIPE
Rua Itabaiana, 952, São José, CEP: 49.015.110
Aracaju - Sergipe - Brasil
79 3712 7904
© Todos os Direitos Reservados - S.O.S VIDA